Aceder ao conteúdo principal



HISTÓRIAS DE SUCESSO Sandra Zacarias – Ensino às Direitas Loic dos Santos – Um profissional de polímeros Nuno Batista – Formação a todo o gás Francisco Cardoso – Um campo de aprendizagem Pedro Aparício – Projeto “À Barca” Ana Lopes – O saber cuidar de pessoas Paula Marcos – Ao sabor das palavras Joaquim Meira – Reconhecer competências passados 47 anos Marco Escaleira – Pseudocódigo Programado Rui Santos – Desenhos de Juventude Alexandre Gonçalves – Formação Sobre Rodas Agrupamento de Escolas de Estarreja – Vencedor Prémio Capital Humano Carmen Calhau – Vencedor Prémio Capital Humano Edite Godinho – Vencedor Prémio Capital Humano Patrícia Oliveira – Vencedor Prémio Capital Humano Rubén Dhanaraju – Vencedor Prémio Capital Humano AEVA – Escola Profissional de Aveiro – Vencedor Prémio Capital Humano

VOLTAR A PO CH

HISTÓRIAS DE SUCESSO Sandra Zacarias – Ensino às Direitas Loic dos Santos – Um profissional de polímeros Nuno Batista – Formação a todo o gás Francisco Cardoso – Um campo de aprendizagem Pedro Aparício – Projeto “À Barca” Ana Lopes – O saber cuidar de pessoas Paula Marcos – Ao sabor das palavras Joaquim Meira – Reconhecer competências passados 47 anos Marco Escaleira – Pseudocódigo Programado Rui Santos – Desenhos de Juventude Alexandre Gonçalves – Formação Sobre Rodas Agrupamento de Escolas de Estarreja – Vencedor Prémio Capital Humano Carmen Calhau – Vencedor Prémio Capital Humano Edite Godinho – Vencedor Prémio Capital Humano Patrícia Oliveira – Vencedor Prémio Capital Humano Rubén Dhanaraju – Vencedor Prémio Capital Humano AEVA – Escola Profissional de Aveiro – Vencedor Prémio Capital Humano

HISTÓRIAS DE SUCESSO


icon_movie icon_movie

Sandra Zacarias – Ensino às Direitas

Durante o curso profissional a Sandra gostou de perceber o impacto que o direito tem na organização da vida em sociedade e de discutir com os colegas e professores casos concretos. Assim, quando concluiu o Curso Profissional de Técnico/a de Serviços Jurídicos no agrupamento de Escolas do Fundão, e depois de ter estagiado no Tribunal do Fundão, resolveu voltar a investir na sua formação e está agora a estudar Direito na Faculdade de Direito de Lisboa.


icon_movie icon_movie

Loic dos Santos – Um profissional de Polímeros

O Loic frequentou o curso profissional de Transformação de Polímeros. Optou por este curso, na ETAP – Escola Tecnológica, Artística e Profissional de Pombal, devido à sua alta taxa de empregabilidade. Estagiou na Iber-Oleff, onde agora trabalha na área de produção de polímeros.


icon_movie icon_movie

Nuno Batista – Formação a todo o gás

O Nuno decidiu escolher o curso Profissional de Técnico de Gás que era lecionado na Escola Profissional do Fundão,. Ingressou num curso TeSP de Energias Renováveis na Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Castelo Branco e hoje frequenta. o 2º ano da licenciatura em Engenharia de Energias Renováveis nessa mesma escola.


icon_movie icon_movie

Francisco Cardoso – Um campo de aprendizagem

Esta é a história do Francisco Cardoso que estudou na Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais/Mirandela e fez o curso Profissional de Técnico de Produção Agropecuária. Quando terminou o curso deu continuidade ao negócio de família no ramo da agricultura.


icon_movie icon_movie

Pedro Aparício – À Barca para melhores qualificações

O projeto “À Barca”, do Teatro do Bolhão, trabalha desde 2018, com 19 mil alunos do ensino básico em 17 Agrupamentos de Escolas da região Norte, obras encenadas a partir do Plano Nacional de Leitura a que chamam “teatro portátil”. Com o apoio do POCH, este projeto de inovação social/Parcerias para o Impacto permite levar o teatro até às escolas e ajudar as crianças e os jovens a lidar com aprendizagens relacionadas com a língua portuguesa, a leitura e a escrita.


icon_movie icon_movie

Ana Lopes – O saber cuidar de pessoas

Foi orientada para seguir um Curso Profissional e a sua vocação era a área social.  Assim conclui o Curso Profissional de Animador Sociocultural na Escola Secundária de Peniche, e hoje trabalha num lar residencial, a cuidar de idosos como era a sua ambição.


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Formandos Adultos – Inativos ou desempregados

Carmen Calhau

Com 32 anos, Carmen estava desempregada. Depressa percebeu que, para encontrar um novo emprego, estava pouco qualificada. Assim, resolveu procurar, junto do Centro do Emprego e Formação Profissional de Évora, uma formação que lhe desse uma certificação profissional  e que, ao mesmo tempo, lhe permitisse concluir o ensino secundário para poder prosseguir os estudos para o ensino superior. 

A conclusão da formação EFA, com equivalência ao 12º ano e certificação profissional deu à Carmen a oportunidade de prosseguir os seus estudos e continuar a sua carreira profissional na área que elegeu, a contabilidade. Atualmente com 38 anos, Carmen já terminou a licenciatura em Contabilidade e Finanças, e está a trabalhar numa escola pública da sua área de residência.


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Formandos Adultos – Trabalhadores-Estudantes

Edite Godinho

A Edite tinha 44 anos quando iniciou o processo de  Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC), de nível secundário. Na altura estava desempregada e resolveu investir numa escola de condução.  Abriu a escola  enquanto frequentava o RVCC e começou a trabalhar enquanto concluía esse processo de reconhecimento de competências ao longo da vida.. A equivalência ao 12.º ano permitiu-lhe ingressar, logo de seguida, no curso de instrutora de código e de condução.

Neste momento, com 49 anos, é instrutora há cerca de um ano na sua própria escola. A resposta do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas nº 1 de Gondomar, proporcionou à Edite, que sempre adorou conduzir,  a realização do seu projeto de vida.


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Formandos Jovens

Patrícia Oliveira

A Patrícia ingressou no Curso Profissional de Informática e Tecnologias Multimédia com 15 anos. Optou por uma via de dupla certificação porque queria ter todas as portas abertas quando concluísse a sua formação, podendo assim optar entre prosseguir estudos ou integrar o mercado de trabalho. Durante a frequência do curso profissional, que concluiu com média de 20 valores, Patrícia percebeu que queria continuar a sua formação nesta área e começou a traçar os planos para ingressar no ensino superior. 

Neste momento, Patrícia, de 19 anos,  já se encontra a frequentar o segundo ano do Mestrado Integrado de Engenharia Informática e Computação, com uma média de 17 valores. Considera-se profissionalmente muito versátil mas, no futuro, gostaria de exercer na área da web ou bases de dados.


icon_movie icon_movie

Paula Marcos – Ao sabor das palavras

A história da Paula Marcos relata o percurso de um adulto que decide mudar de profissão e concluir o ensino secundário. Frequentou o Curso de Educação e Formação de Adultos de Técnica de Cozinha e Pastelaria, no Centro de Emprego e Formação Profissional de Évora.


icon_movie icon_movie

Joaquim Meira – Reconhecer competências 47 anos depois

Aos 60 anos Joaquim Meira, alfaiate, sempre teve muita vontade de aprender.. No Cearte concluiu o 9º ano e logo a seguir o 12º ano através do Centro Qualifica. Atualmente dá formação na área que domina, no Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património.


icon_movie icon_movie

Marco Escaleira – Pseudocódigo Programado

O Marco frequentou a Escola Profissional Ruiz Costa, Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos e integrou assim que conclui o curso a Mindera School. Quer continuar a programar, a criar soluções para problemas e a desenvolver software.


icon_movie icon_movie

Rui Santos – Desenhos de Juventude

O Rui sempre teve aptidão para o design, por isso elegeu o Curso Profissional de Designer Gráfico, na Escola Secundária de Vilela. Em 2019 foi  trabalhar numa empresa de produção Gráfica e está muito satisfeito com a sua decisão. No futuro gostaria de criar o seu próprio negócio na área.


icon_movie icon_movie

Alexandre Gonçalves – Formação Sobre Rodas

O Alexandre, que sempre gostou de desmontar carrinhos, escolheu o Curso de Aprendizagem de Mecatrónica Automóvel no Instituto do Emprego e Formação Profissional de Beja, sentindo que estava a tomar a melhor opção para o seu futuro. E não se arrependeu!


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Entidade Formadora/Jovens

Agrupamento de Escolas de Estarreja

O Agrupamento de Escolas de Estarreja promove um ensino de qualidade, voltado para a internacionalização e para a ligação da escola ao mundo de trabalho nacional e europeu. Através da sua aposta no ensino profissional, procura contribuir para a redução do abandono escolar precoce e para a melhoria dos níveis de educação e qualificação, elevando os índices de empregabilidade e assim minimizando situações de exclusão social. A dimensão e diversidade da oferta formativa e a consequente possibilidade de colocação dos formandos na primeira opção de escolha do curso pretendido, associado a um ensino de qualidade, contribuiu e contribui, para a diminuição ao longo dos anos do abandono escolar no agrupamento.

Pretende ainda a valorização da dimensão europeia da educação através do desenvolvimento de projetos transnacionais que impliquem o empreendedorismo, a formação profissional e a promoção da cidadania europeia.


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Entidade Formadora de Adultos

AEVA – Escola Profissional de Aveiro

A Mónica teria seguido um percurso básico e secundário normal pela via científico-humanística, não fosse ter-se deparado com dificuldades em matemática A e físico-química, que a impediram de concluir o 12º ano. Quando teve conhecimento da possibilidade de concretizar uma formação EFA – Educação e Formação de Adultos, que lhe daria equivalência ao 12º. ano, a Mónica, na altura com 20 anos de idade, resolveu ingressar. A formação permitiu-lhe seguir o percurso superior que sempre almejara. Ingressou na Licenciatura de Design e Multimédia, que entretanto já concluiu com sucesso. 

Atualmente com 26 anos, está a frequentar um mestrado na mesma área da sua licenciatura. No futuro próximo, quando terminar o mestrado, pretende prosseguir para doutoramento e posteriormente dedicar-se à construção de websites, na área do web design e programação.


icon_movie icon_movie
Vencedor Prémio Capital Humano – Categoria Formandos Jovens

Rubén Dhanaraju

O Rúben começou a programar com 10 anos e não teve dúvidas sobre o que queria fazer no futuro. Quando ingressou no ensino secundário, tinha já um plano traçado e optou pela via científico-humanística para depois prosseguir para o ensino superior. O Rúben desiludiu-se com esta via de ensino, queria conjugar as aprendizagens essenciais com a prática da programação, que tanto prazer lhe dava e, por isso, resolveu procurar alternativas. Quando encontrou o curso profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos, mudou de via de ensino e não se arrependeu. O desempenho do Rúben durante o curso profissional não ficou aquém da motivação, para além de o ter concluído com média de 20 valores, a sua Prova de Aptidão Profissional foi premiada tanto a nível local como nacional. 

Terminou a licenciatura em “Ciência de computadores” com a melhor média do seu curso, 19 valores. Atualmente com 23 anos, frequenta um mestrado na mesma área, quer prosseguir para o doutoramento e sente-se um “feliz cientista dos computadores”.